Idade Contemporânea


Década de 1970

Ângela DavisOs anos de 1970 começaram trazendo toda a referência da moda hippie que começara na segunda metade dos anos de 1960. Portanto, todo aquele visual característico desses jovens como a calça boca-de-sino, multiestampas, cabelos longos, batas indianas etc., ainda estavam em vigência da moda dos primeiros anos da década de 1970. Os negros, por sua vez, usavam o penteado "black-power", super difundido pela militante negra norte-americana Ângela Davis, a partir de 1971, contra o racismo nos Estados Unidos.

A moda então havia se diversificado muito. Uma série de opções de estilos foram se tornando referências de moda, porém sempre prevalecendo o aspecto de jovialidade com características de praticidade e conforto relativos à sua época.

Uma dessas correntes, mais para o fim da década, se fez com as propostas do New Romantic. Essa tendência do novo romantismo privilegiava as estampas florais, acabamentos de renda, chapéus de palha e uma série de acessórios com ares românticos.

Paradoxalmente a essa tendência romântica, houve também aquela na qual a mulher queria se firmar como independente e trabalhadora, usando assim ternos, costumes ou mesmo a saia com casaco, numa nítida masculinização do visual.

O que foi muito usado, contudo, foram as calças compridas jeans que variavam desde bocas-de-sino no início do decênio, passando por cortes mais tradicionais e chegando no final da mesma década ao corte baggy e ao semi-baggy.

Um acontecimento grave nos anos de 1970 chegou a influenciar também a moda. Foi a crise do petróleo que estava atingindo o mundo inteiro. Devido a esse fato, surgiu uma preocupação muito grande na Europa, uma vez que a maioria de seus tecidos eram sintéticos, dependendo do petróleo como matéria prima. Então criou-se na França um comitê de estilo para direcionar as propostas de moda, onde todos trabalhariam com referências semelhantes em suas coleções têxteis, estabelecidas pelos seus membros, para que houvesse uma caminho mais certo e seguro a ser seguido. Foi assim criada, em meados dos anos de 1970, uma feira de moda têxtil a ser exibida em Paris com o nome de Première Vision (primeira visão), na qual os industriais têxteis exporiam seus lançamentos. Ainda hoje, a Première Vision é a principal feira de lançamentos de moda do mundo, acontecendo duas vezes ao ano, nos meses de março e outubro para os lançamentos das propostas de primavera-verão e outono-inverno, respectivamente.

David BowiePraticamente ao mesmo tempo foi amplamente difundido, inicialmente na França e depois para o restante do mundo, os bureaux de style, que haviam surgido na segunda metade do século XX. Seria uma espécie de escritório de moda onde, por meio de estudos preliminares e tendências mercadológicas, proporiam sugestões para a moda seja feminina, masculina e/ou infantil. O principal bureau de style, e que ainda existe, foi o Promostyl.

Em meados do decênio, surgiu uma proposta muito excêntrica para a moda jovem associada aos grupos musicais em alta, em que a palavra de ordem era o "glamour". Daí surgiu o movimento glam também chamado de "glitter". Influenciados pelo visual de líderes musicais do movimento "glam rock", como Bryan Ferry and Roxy Music, David Bowie, Rod Stewart, Marc Bolan e Elton John, jovens aderiram ao visual de muito brilho e mais ainda de excentricidade exagerada. Uma das maiores identidades dessa moda foi a bota de cano alto e salto plataforma tremendamente popularizada.

Em meados desses mesmos anos de 1970 surgiu em Londres, por volta de 1974-1975, um movimento de jovens estudantes desempregados com o lema "No Future" (Nenhum Futuro) com o qual queriam agredir e denunciar a sociedade da época por meio do seu visual totalmente inusitado e transgressor: foram os "punks". O look adotado por eles foi o das roupas rasgadas, jaquetas de couro preto, botas surradas e muito detalhe de material metálico como rebites, tachas e correntes, além de excessivos brincos e alfinetes.

Modelos de Vivienne Westwood

Vivienne Westwood, uma estilista já renomada, acabou intelectualizando o movimento e criando roupas para esses jovens contestadores que cresceram em número de adeptos ao estilo. Vivienne Westwood é considerada na moda como a "mãe dos punks" e ainda hoje é uma das estilistas inglesas de maior prestígio mundialModelo de Pierre Cardin.

A moda norte-americana teve a influencia de dois grandes estilistas: Calvin Klein e Ralph Lauren. Estes passaram a ser as novas referências da moda norte-americana com suas propostas práticas, versáteis e descontraídas.

A moda, por sua própria natureza, precisa sempre se fazer diferente e elitizada. Surgiu assim, no fim da década, uma nova proposta que criava uma diferenciação social por meio das roupas. Foi o conceito de "griffe" que em francês significa "garra" e que é exatamente essa a idéia, ou seja, deixar a garra de um criador ou de uma marca na peça de quem a usa. Os grandes estilistas internacionais e até mesmo os nacionais aderiram a essa idéias de uma moda mais acessível, porém assinada e com estilo, quando se envergava grandes etiquetas externamente nas roupas, exibindo nomes como Pierre Cardin e Fiorucci e no Brasil, uma marca que muito se destacou foi a Dijon de Humberto Saad, no Rio de Janeiro.

No fim da mesma década, como uma continuidade da moda glam, houve uma moda associada à febre das discotecas, onde a idéia de brilho nas roupas prevalecia juntamente com roupas práticas para dançar e a enorme profusão do uso de cores vivas.









Chegou o Windows Live Spaces:você divide seu blog, suas fotos, sua lista de música e agora encontra seus amigos! É só entrar no:

Lohren Beauty

Nenhum comentário:

Postar um comentário