Os 4 Pilares

No livro "Diferentes desejos", o sexólogo Cláudio Picazio dividiu pela primeira vez a sexualidade humana em quatro partes, que ele chamou de Os 4 Pilares da Sexualidade. Compreender esses quatro pilares seria então essencial para compreender o que são adolescentes e jovens gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais (GLBT) - suas dúvidas e conflitos parecem se esclarecer a partir do momento em que se consegue visualizar melhor cada tijolo que compõe suas sexualidades.

 

Sexo Biológico: É menino ou menina?

O primeiro desses fios é o mais claro: o sexo biológico, que de imediato divide a raça humana em duas partes. O indivíduo nasce mulher ou nasce homem. Os modernos estudos de gênero não acham que devemos pensar o corpo humano dessa forma binária, mas é por esse binarismo que os pais (e, por extensão, as demais pessoas da sociedade) enxergam uma pessoa. Na cabeça deles, só existe o masculino e o feminino – e assim a criança será tratada desde o berço.

 

Papel Sexual: Coisas de menino e coisas de menina

O segundo pilar é um modelo que a sociedade construiu para os sexos masculino e feminino. Homem pode jogar bola. Mulher não pode. Mulher pode chorar. Homem não pode. Homem pode dirigir caminhão, ter várias namoradas e usar gravata. Mulher pode cuidar da casa, acompanhar a amiga ao banheiro e usar saias. Qualquer desvio e a pessoa é alvo desde olhares de desaprovação e suspeita até agressões verbais e físicas. Mas ao contrário do que se pensa, não são os papéis sexuais que vão definir como a criança se sente internamente ou a quem será direcionado o seu desejo sexual na adolescência.

 

Identidade Sexual ou Identidade de Gênero: Sou menino ou menina?

Uma coisa é como as pessoas percebem você e como elas querem que você seja. Outra coisa é o que você é. Algo dentro de você te leva a se identificar com um gênero – e parece óbvio que isso está ligado ao sexo biológico: homens se sentem masculinos e mulheres se sentem femininas. Mas não é tão óbvio assim. Para parte da população, ocorre exatamente o inverso: meninos se sentem mais meninas e meninas se sentem mais meninos – são adolescentes e jovens travestis e transexuais.

 

Orientação Sexual: Desejo meninos ou meninas?

Resta apenas o quarto pilar: a orientação sexual. E esse, claro, trata da relação do jovem com o outro. Tem a ver com desejo, atração. Há um exemplo perfeito para vizualizar o que significa isso: as pessoas se orientam sexualmente para onde seus pescoços se entortam. Explicando: Se passa um garoto e o rapaz dá aquela virada de pescoço pra olhar para o lado ou para trás, às vezes mesmo sem perceber, ele é atraído por garotos. Se, ao contrário, seu pescoço entorta quando passa uma garota, ele é atraído por elas. Um jovem sabe que é bissexual quando seu pescoço entorta tanto a um quanto a outro.

 

Toda a complexa diversidade sexual pode ser deduzida a partir desses 4 Pilares. Jovens GAYS e LÉSBICAS são aqueles que têm uma orientação sexual voltada a pessoas do mesmo sexo. BISSEXUAIS, aos dois. TRAVESTIS e TRANSEXUAIS são pessoas cuja identidade de gênero não está alinhada com seu sexo biológico – e podem ser hetero, homo ou bissexuais.



 

 



Notícias direto do New York Times, gols do Lance, videocassetadas e muitos outros vídeos no MSN Videos! Confira já!

Chesller Moreira

Nenhum comentário:

Postar um comentário