Urna

Em Campinas, Deco Ribeiro quer ser vereador para levantar bandeira do arco-íris dentro da política
Por Hélio ಫಿಲ್ಹೋ



Deco Ribeiro (PCdoB) já pensava em entrar para a política há algum tempo, mas duvidava que algum partido estivesse disposto a levantar a bandeira do arco-íris. Um convite de seu partido mudou isso e agora ele é candidato a vereador em Campinas. Com um discurso moderado e realista, ele pretende usar sua experiência junto à comunidade LGBT para tentar derrubar as barreiras do preconceito e da discriminação. "Vamos levar a discussão da diversidade para o ambiente escolar e mapear e policiar melhor os espaços de convivência gay", defende.

Uma de suas preocupações é também o acesso do segmento à saúde, principalmente de adolescentes que estão iniciando sua vida sexual e travestis. Para colocar em práticas suas propostas, confia na reeleição do prefeito de Campinas, aliado do partido dele, para facilitar a efetivação de suas idéias, construídas juntamente com a comunidade durante eventos como a Conferência Municipal GLBT e a da Juventude.

Como surgiu a idéia de se candidatar à Câmara Municipal?
Surgiu através de um convite do PCdoB para que eu fosse o candidato do partido a levantar a bandeira LGBT. Eu já havia pensado a respeito, mas nunca imaginei que um partido estivesse disposto a abraçar a causa assim tão abertamente - e aqui estou!

Por que você acha que é uma boa opção para o eleitor?
Bom, quem me conhece sabe que eu costumo pensar mais nos problemas dos outros do que nos meus próprios problemas, pra desespero do meu marido (rs). E eu trabalho pela causa LGBT desde 1998, há dez anos já. Chegou a hora dos gays pararem de implorar por um tiquinho de atenção dos nossos governantes e... governar!

Quais suas propostas para os LGBTs?
De imediato, combater a homofobia nas escolas e a violência homofóbica nas ruas. Para isso, vamos levar a discussão da diversidade para o ambiente escolar e mapear e policiar melhor os espaços de convivência gay. A médio prazo, pretendo acompanhar sempre o acesso dos LGBTs à saúde - principalmente de adolescentes e travestis, os mais excluídos - e melhorar as ações do município para a população GLBT, com o Centro de Referência e a Parada.

Como elas foram construídas?
Com a comunidade, claro. Em março, na época das Conferências GLBT e de Juventude, fizemos várias reuniões para definir quais as principais propostas para melhorar a vida dos LGBTs. Contamos com a participação de muitos jovens e essas prioridades (escola, violência e saúde) foram definidas por eles nestes espaços.

Como pretende colocá-las em prática se vencer a eleição?
Em parceria com a prefeitura. Nossa coligação apóia o atual prefeito à reeleição e esse prefeito, Dr. Hélio, é uma pessoa sinceramente preocupada com a questão do preconceito e da discriminação em nossa cidade.

Você acredita que representa o movimento LGBT? Por que?
Bom, além de ser gay eu sou um militante gay. Participo do Fórum GLBT de Campinas, fui um dos fundadores do Fórum GLBT Paulista e fiz parte da Comissão Organizadora da Conferência Nacional GLBT. Já representei o movimento LGBT em dezenas de espaços, fundei e fui presidente por quatro anos do E-JOVEM - que é a maior rede de adolescentes e jovens LGBTs do País - e fui eleito conselheiro municipal de Saúde em Campinas justamente representando o segmento. Acho que tenho um pouquinho de representatividade sim.

Quais são as principais três coisas que o eleitor deve observar em um candidato antes de votar nele?
1) Veja se esse candidato já aparecia e falava essas coisas antes da campanha. Em ano eleitoral, sob os holofotes, é fácil prometer mundos e fundos - mas ele já fazia algo quando ninguém estava olhando?
2) Ele pergunta e busca sugestões da comunidade ou só vomita propostas e projetos? Desconfie de respostas que já vêem prontas.
3) Procure conversar com o candidato pessoalmente. Ele é acessível? Se não for agora, será bem menos depois de eleito. E, cara a cara, é muito mais fácil sentir se ele é um bom candidato ou não. Confie nos seus instintos.

Você considera importante os LGBTs se envolverem na política? Por que?
Essencial. Porque é por meio da política que é definido o nosso modo de vida. Se a forma como a sociedade existe e funciona hoje está errada, foi por termos dado muito pouca atenção à política. Mas ainda há tempo de corrigir isso.


Deco Ribeiro 65050
PCdoB - Vereador
pelo vermelho do arco-íris!

Chesller Moreira

Nenhum comentário:

Postar um comentário