Saiba aqui como apoiar DILMA!

Mas afinal, o que é um Comitê de Juventude Dilma Presidenta?

Quando se fala em comitê de campanha, logo imaginamos uma casa ou um ponto comercial onde equipes se reúnem para debater estratégias de mobilização e distribuir materiais de divulgação. De fato, isso é um comitê de campanha, e eles existirão aos milhares em todos os cantos do país, apoiando nossos candidatos ao Executivo e ao Legislativo. Mas, no caso dos Comitês de Juventude Dilma Presidenta, estamos falando de uma concepção mais simples e ampla.

Mais simples porque um Comitê de Juventude Dilma Presidenta não necessita ser uma estrutura física. Pode ser uma galera que se reúne periodicamente, no bairro, numa universidade, numa escola ou num determinado movimento. E mais amplo porque nele, além de militantes das juventudes partidárias que apóiam Dilma, queremos envolver os jovens que simplesmente aprovam o governo Lula e querem que o Brasil siga mudando.

Enfim, não queremos nada muito formal. Acreditamos que, assim, vamos ter melhores condições para promover uma ampla mobilização da juventude brasileira. E os Comitês de Juventude Dilma Presidenta, qualquer que seja a sua forma de organização, serão peças fundamentais neste processo, pois com muita mobilização vamos dar continuidade ao nosso projeto.

1
Juntar a galera

O primeiro passo para organizar um Comitê de Juventude Dilma Presidenta é juntar a galera. Não existe um número pré-determinado de pessoas. O fundamental é chamar uma reunião com as pessoas que você conhece, sabe que apóiam nosso governo e querem que o Brasil siga mudando. Nesse primeiro encontro, deve-se planejar metas e objetivos que estejam de acordo com a realidade local. É importante pensar, também, em atividades que envolvam outros apoiadores da Dilma. Por exemplo: se o comitê estiver sendo organizado por universitários é importante atrair não só outros estudantes, mas também professores e funcionários que apóiam Dilma.

2
Dividir as tarefas e
envolver todo mundo

Durante a reunião, é importante listar as pessoas que podem participar das atividades e dividir as tarefas entre todos, levando em consideração que alguns têm mais disponibilidade que outros ou mais habilidade para uma tarefa específica. O importante é envolver todo mundo, estimular uma participação realmente coletiva.

3
Listar os locais que
faremos campanha

A partir do ambiente em que estamos inseridos, temos de fazer um levantamento de lugares onde faremos campanha, priorizando os pontos mais freqüentados pelos jovens – a porta de uma escola ou faculdade, uma praça, a associação comunitária, a entrada de um evento, como um show ou um jogo de futebol, etc. É importante anotar todas as possibilidades.

4
Preparando um calendário
de atividades

Feito o levantamento, é preciso definir tanto o calendário de atividades do Comitê quanto as datas de reuniões de avaliação dessas atividades. Divulgar o calendário também é muito importante. Assim, mais pessoas se envolvem na dinâmica do Comitê.

5
Inovar na campanha:
é preciso ser criativo

Tudo o que a criatividade permitir deve ser utilizado - teatro, grafite (lembrando que quando feito em muros deve ser autorizado pelo proprietário), música. As possibilidades são imensas. Lembre-se que, qualquer que seja a atividade, é sempre útil ter uma banquinha como referência. Nela, podemos disponibilizar materiais de campanha, puxar um papo, divulgar e debater melhor as nossas propostas.

6
Sempre cadastrar a galera

Durante as atividades sempre aparece alguém interessado em participar da campanha. Por isso, tenha sempre à mão um formulário de cadastro. A ficha precisa ter nome, telefone, e-mail e, se possível, o endereço. A partir daí, podemos organizar uma mala-direta, com todos os contatos, anunciando e convidando as pessoas para as próximas atividades do Comitê.

7
Estimular a discussão
política entre os jovens

Estimular que Grêmios Estudantis, Centros Acadêmicos, Associações de Moradores ou outras entidades e organizações realizem debates é uma boa forma de politizar o ambiente e conquistar adesões para nossa campanha e nossas propostas.

8
Bote a estrela no peito

É importante que todos usem broches, adesivos, camisetas dos partidos e outros artigos de identificação com Dilma e nossos candidatos. Se possível, criar um “kit militante” para estarmos sempre preparados para distribuir materiais, cadastrar pessoas e divulgar a campanha.

9
Quem não se comunica se trumbica

Também é importante soltar boletins informativos com o calendário de atividades, reuniões, festas, plenárias, etc. Isso faz com que aqueles companheiros que não estão no dia-a-dia da campanha ao menos estejam informados sobre o que está rolando. Outra boa idéia é criar um blog do Comitê e enviar boletins por e-mail periodicamente, assim como divulgar fotos e vídeos das nossas atividades na internet. Através do site www.participabr.com.br a militância está sendo chamada para fazer a cobertura colaborativa da campanha. É só entrar e enviar o seu material.

As redes sociais também terão bastante destaque nesta campanha. O Comitê Nacional de Juventude Dilma Presidenta, assim como a campanha de um modo geral, irá sempre propor ações na rede. Marcar presença no Twitter, Orkut e Facebook, e participar destas ações, é uma forma de dar visibilidade à nossa campanha.

IMPORTANTE! No site www.galeradadilma.com.br você pode cadastrar o seu Comitê. Assim, ele fará parte da Rede de Comitês de Juventude, passará a receber informações e outras pessoas poderão entrar em contato e passar a integrar o grupo.

10
Festa: pra animar e integrar

Uma diferença fundamental entre a nossa campanha e a de nossos adversários é que a nossa é feita com alegria e entusiasmo. Fazemos política porque queremos melhorar a vida das pessoas e ajudar a construir um país mais justo. Essa alegria não pode ser menosprezada. Portanto, reunir a galera para uma festa, um churrasco, uma pelada, etc., é muito importante. Todo mundo relaxa um pouco, se conhece melhor e se aproxima mais.

11
“Se muito vale o já feito,
mais vale o que será...”

Lula mudou o Brasil e a relação do governo com a juventude que, de coadjuvante, passou a ser protagonista dessa nova fase do país. Conhecer o que foi feito nestes quase oito anos, e o que será realizado nos próximos, é fundamental para que possamos convencer a juventude a votar na Dilma. Portanto, leia os 13 pontos do Programa de Governo de Juventude. E, para informações gerais sobre o trabalho do governo Lula, acesse o site www.Dilma13.com.br

12
Participar das atividades
gerais da campanha

Além de freqüentar o Comitê, é importante participar das atividades gerais da campanha, como comício, caminhada ou carreata. Leve faixas, bandeiras, prepare palavras de ordem, mobilize os amigos. Tudo isso dá visibilidade à juventude e as nossas pautas.

13
Sem medo de ser feliz!

Queremos fazer uma campanha alegre e bonita, com garra e emoção. Uma campanha ousada, vermelha e rebelde. Uma campanha que envolva a juventude, suas necessidades e anseios. Uma campanha militante. Pra ganhar. Pra fazer nossa estrela brilhar, sem medo de ser feliz!

Chesller Moreira

Nenhum comentário:

Postar um comentário