Indios Gays Terão destaque na 4ª Parada LGBT do Xingu

4ª Parada da Diversidade LGBT da Transamazônica e Xingu e Terá Participação de Travestis Indigenas do Xingu

 

Pelo Fim da Violência e da Impunidade milhares de lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais, simpatizantes e aliados devem comparecer na Orla do Cais de Altamira.

 

Março será o Mês do orgulho LGBT da Transamazônica e Xingu. Alem da 4ª Parada do orgulho LGBT, que ocorre no dia 06, na Avenida João Pessoa – Orla do Cais de Altamira, diversas outras atividades farão parte desse grande momento de manifestação e celebração para a democracia no Brasil.

 

Sob o tema "Amai-vos uns aos outros: Basta de Homofobia", o mês do Orgulho LGBT propõe uma reflexão acerca da constante oposição da Igreja nos avanços dos direitos humanos, o objetivo dos organizadores é questionar a moral religiosa conservadora que vem se reafirmando como uma das principais oposições ao avanço da cidadania e dos direitos de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBT) no Brasil e no mundo, A parada LGBT Transxingu segue a mesma tematica da Parada de São paulo é trará para discussão as dezenas de direitos constitucionais que são negados – como a união civil, adoção, o usufruto, a dependência e a herança.

 

O evento é organizado pela Associação da Parada do Orgulho LGBT da Transamazônica e Xingu e será realizado na Avenida João Pessoa, orla do cais de Altamira, a Parada é uma união de 11 municípios da região transxingu e terá a participação de indigenas assumidamente LGBTs com destaque garantido nos carros Oficiais da parada (travestis inseridos na cultura indigena assumidamente gay).  A concentração começará a partir das 14h em frente ao centro Cultural da Eletronorte.

 

A violência contra LGBT no Pará e o incentivo ao teste de Aids serão abordados com destaque na 4ª edição da parada este ano. Segundo dados do Centro de Referencia LGBT , 18 assassinatos de homossexuais foram registrados no Estado no ano de  2010.  Para a coordenação da Parada da Diversidade LGBT, este número pode ser maior já que muitos crimes não são denunciados ou registrados como homofóbicos.

Segundo dados do Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA), Altamira possui 101 casos de HIV já confirmados, sendo 39 homens, 62 mulheres e 06 homossexuais, sem contabilizar as pessoas infectadas que não sabem que portam o vírus. Dados alarmantes "A saúde é um direito de todos, porque são os membros da sociedade que financiam, através dos impostos, portanto têm o direito de exigir a sua efetividade. É um direito de todo cidadão cobrar do Estado ações e serviços para o enfrentamento da doença com dignidade, sem qualquer forma de discriminação ou preconceito", diz Humberto Farias, presidente da APOLGBTTX.

A Associação da Parada do Orgulho LGBT da Transamazônica e Xingu (APOLGBTTX), entidade responsável pela atividade também pretende por meio da campanha "Fique Sabendo" mobilizar e incentivar a população a realizar o teste de AIDS. A campanha "Fique Sabendo – Faça o teste de AIDS que a APOLGBTTX iniciou em agosto do ano passado (2010) na região transxingu tem como objetivo conscientizar a população sobre a importância da realização do exame de HIV/Aids. Voluntários e formadores de opinião de Altamira  e região serão envolvidos na campanha para incentivar a população a fazer o teste e diminuir cada vez mais o preconceito em relação ao HIV/Aids. A campanha Fique Sabendo é uma iniciativa do Departamento Nacional de DST/Aids do Ministério da Saúde e em Altamira tem parceria da associação da Parada. 

Texto: Acessoria de Imprensa de APOLGBTTX.

Lohren Beauty

Nenhum comentário:

Postar um comentário